quinta-feira, 6 de julho de 2017

A senhora da pastelaria

A senhora da pastelaria

(pequena crónica dedicada às minhas netas MT e MP)

        As moças tinham saído para dar um passeio pela cidade. Irmãs, uma tem vinte anos, é mais alta, alva, magra, de cabelos castanhos, lisos, e a outra tem dezassete, um pouco menos alta e magra do que a irmã, tem tez morena e cabelos pretos, encaracolados. A MariaT. é parecida com a mãe; a Maria P. é parecida com o pai, apesar de já ter havido quem as tivesse achado parecidas com a avó: eu!!!...

        Nesse dia percorreram as ruas da alta da cidade e num saltinho chegaram à baixa. É assim a cidade de Coimbra, onde a Universidade, lá no alto da colina de onde se avista Santa Clara e o belo rio Mondego, dá acesso rápido à baixa por várias ruas e escadas estreitinhas.

        Já na baixa, à hora do lanche, as jovens entraram e sentaram-se na Palmeira, pastelaria onde já a bisavó habitualmente comprava o pão e os croassãs. Pediram exatamente o mesmo que a avó pedia quando jovem, há cinquenta anos: uma bola de Berlim e um compal.

        Na mesa do lado a senhora de uma certa idade iniciou conversa com as jovens, depois de ver o que iam lanchar, dando início ao seguinte diálogo:

        - Comes bolos e bebes refrigerantes, por isso és gorda, diz a senhora referindo-se à M.P., que respondeu:

        - Eu raramente como bolos e bebo sempre água, hoje é uma exceção.

        - Se calhar nem fazem exercício!

     - Por acaso até fazemos exercício todos os dias. Todas as manhãs fazemos caminhadas e corremos durante uma hora e agora até acabámos de fazer uma caminhada!

        - Não aturam os vossos avós e estão aqui a aturar-me a mim!

        - Nós até vivemos no norte e viemos passar uma semana com os nossos avós!

        - Nem parecem irmãs: uma é magra, outra é gorda; uma é branca, outra é morena!

        - Mas somos irmãs!

        Já em casa, reproduzido o diálogo pelas minhas duas lindas netas, só nos deu vontade de rir: a velhota da pastelaria não conseguiu acertar em nada!... E se fala assim com os netos, eles não lhe irão dar a atenção que as minhas netas lhe deram. As minhas Marias são muito ajuizadas, simpáticas, delicadas, não incomodam, falam bem e baixo, coisa que não vejo em muitos dos jovens com quem me cruzo por aí. Não comem produtos processados nem fast-food, preferem água, frutas e legumes, peixe e carnes magras, e os disparates não são regra!

        São muito bem-educadas, já disseram que gostaram muito de passar esta semana com os avós, aproveitando o sol, o mar e o sossego da praia de que tanto todos gostamos.                
         Prometeram voltar!

        Quanto a nós, tivemos uma semana de grande felicidade: adorámos a companhia destas duas belas senhorinhas que fazem muito boa companhia aos avós idosos… menos difíceis de aturar do que a senhora da pastelaria!

PARA AS MINHAS NETAS VAI UM BEIJO
PARA QUEM ME LEU O MEU ABRAÇO

4 comentários:

  1. Oh! Teresinha, ele há gente muito "coise"!
    Então o r... da velha dá p'ra implicar com as meninas?
    Sempre me ensinaram que se não tenho nada agradável para dizer (e se ninguém me perguntou nada) que devo estar caladinha.
    Pelos vistos a senhora da pastelaria nunca ouviu falar neste princípio elementar.
    As meninas são fofas e giras. Parabéns.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá amiga e que bom conhecer essas lindas raparigas!
    Infelizmente há pessoas que não têm sensibilidade para os jovens e depois queixam_se!
    Imagino que tenham sido uns belos dias ao lado delas!
    Bj

    ResponderEliminar
  3. Oi Teresinha... tem gente que tem alma velha mesmo, as duas são lindas e foram muito educadas com a senhora ranzinza... Beijosss!!!

    ResponderEliminar
  4. Olá Terezinha, ri bastante com os disparates da velha senhora, não deu uma dentro, e plea conversa suas netas são bem educadas mesmo, pois se fosse em Brasil ela ficaria falando ao vento. Existem pessoas bem inconvenientes mesmo.

    Noite de Paz , desejo
    Abraço

    ResponderEliminar